FABRICANTE DE CIGARROS DE PALHA FALSIFICAVA MARCA DO CONCORRENTE

1A Policia Civil desmontou, na manhã desta quarta-feira (6), um esquema de falsificação de cigarros de palha em Poço Fundo. Um fabricante vendia seus produtos em cidades próximas, mas com pacotes falsificados do concorrente.

A denúncia foi feita pelo dono oficial da marca imitada, bem famosa em toda a região, diretamente à Policia Civil, que após instauração de inquérito solicitou e obteve um mandado de busca e apreensão para a fábrica suspeita, obtendo êxito na descoberta de vários pacotes.

O proprietário, que não estava no local, será ouvido ainda esta semana na Delegacia

TOYOTA FURTADA DE FAZENDA POÇO-FUNDENSE É RECUPERADA

A caminhonete Toyota Bandeirante furtada da fazenda São Luis da Bela Vista (Poço Fundo), de propriedade do médico Luis Fernando Fagundes de Gouvêa, foi recuperada pela Policia Militar na noite desta terça-feira (5). Ela estava escondida em meio a um cafezal da zona rural de Machado, e sua localização se deu graças a denúncia anônima averiguada pelo setor de inteligência da 164ª Cia PM.

O proprietário informou que a divulgação do caso por nossa reportagem foi essencial para o sucesso das buscas, pois foi graças a ela que a pessoa denunciante a identificou e entrou em contato com a policia, a fim de passar as pistas que levaram à recuperação.

Detalhes em nossas próximas edições do grupo JPF.1 - Toyota recuperada

FAZENDEIRO MACHADENSE É PRESO POR HOMICIDIO COMETIDO EM 2013

A Policia Civil de Machado prendeu, no final da tarde desta segunda-feira (4), o fazendeiro João Batista Conti Campos (61 anos), e está à procura do seu filho João Láercio Dias Campos (30 anos). Ambos são acusados de homícidio qualificado, e tiveram mandados de prisão preventiva decretados pela Justiça.
A vítima do crime, cometido em 13 de outubro de 2013, é José Alexandro da Silva, que na data tinha 30 anos de idade. Ele foi morto com pelo menos 14 tiros, um deles na cabeça, durante série de disparos efetuados por pai e filho, na fazenda Cachoeira, de propriedade dos autores e que fica no bairro Caiana. Naquela ocasião, o argumento utilizado pelos suspeitos foi de que a vítima, seu irmão e uma terceira pessoa teriam invadido a casa onde estavam, dentro da fazenda, e foram surpreendidos pelos atiradores, inconformados com a “audácia” dos três, que seriam foragidos da Justiça. No entanto, as investigações, pelo visto, apontaram para outra história, que conduz a um homicídio planejado e por motivos fúteis.
Estamos aguardando detalhes, e você os terá ainda aqui e nas próximas edições do grupo JPF.