Slider

MOTO É ATINGIDA POR CARRO APÓS DISCUSSÃO DE TRÂNSITO

Uma briga de trânsito chamou a atenção de quem passava pela Praça São Francisco, na tarde do último dia 24 (quarta-feira). Um Volkswagen Gol atingiu uma Honda CG Titan e, depois, a arrastou por alguns metros. Tudo começou por causa de uma reclamação do motociclista, não aceita pelo motorista. Os danos mais sérios foram materiais.
A Polícia Militar foi acionada e, no local, ouviu primeiro o condutor do carro, um caminhoneiro de 42 anos. Ele afirmou que descia pela lateral da Igreja Matriz, quando passou por uma sinalização de parada obrigatória e teve que frear para não atingir a moto, que fazia o contorno da praça.
O piloto então lhe deu a preferência, mas, quando o carro passou, o motorista ouviu um xingamento: “você não está vendo a placa ‘Pare’, seu cavalo!?”. Nervoso, o condutor quis descer, mas a esposa o conteve. Daí, ele engatou a marcha ré para retornar, com o objetivo de conversar com o outro envolvido. No entanto, bateu na CG e, ao tentar voltar, a arrastou por alguns metros. O homem também alegava estar abalado psicologicamente por causa da confusão, pois seu filho, que tinha sido levado ao médico por estar doente, era um dos ocupantes do automóvel.
O condutor da Honda, um comerciante de 29 anos, deu uma versão diferente. Ele disse que quase foi atingido pelo Gol na parada obrigatória e teve que frear. Por isso, xingou o motorista de “burro” e este, por sua vez, acertou sua moto propositalmente, dando marcha ré no carro. Por conta do choque, o rapaz afirma que sofreu algumas lesões, como arranhões na barriga, relatando ainda que sentia dores numa das pernas. O motociclista ressaltou também que, depois da batida, o homem desceu do automóvel e disse para ele “ver, que arrumava”.
Diante das alegações dos envolvidos, a Guarnição optou por liberar o trânsito e encaminhou a dupla à Delegacia de Poço Fundo. O Gol foi devolvido ao proprietário, mas a moto, por estar com a documentação irregular, teve que ser recolhida ao pátio credenciado.