Slider

DECLARADA GUERRA CONTRA A FEBRE AMARELA EM POÇO FUNDO

Morte de idoso do Distrito do Paiolinho, em caso considerado “importado”, desencadeou série de ações para aumentar a cobertura vacinal e eliminar focos de mosquitos transmissores

A morte de um gimirinense de 88 anos em Mairiporã – SP, em decorrência da Febre Amarela, desencadeou, em Poço Fundo, uma série de ações de extremo reforço na luta para evitar que um surto se instale no município. A causa do óbito foi confirmada pela Secretaria de Saúde de Minas Gerais, no último dia 23 (terça-feira), em um caso considerado “importado” da enfermidade.

O idoso, morador do Distrito do Paiolinho, teria viajado antes do Natal para o Mato Grosso e, em seguida, para a cidade paulista, onde, provavelmente, contraiu a doença. No entanto, já possivelmente infectado, voltou para sua casa no dia 4 de janeiro e lá ficou por pelo menos 72 horas, quando começou a apresentar os primeiros sintomas. Retornou a Mairiporã, foi internado e faleceu.

Por causa do período em que o doente permaneceu em sua comunidade, um intenso trabalho de combate ao mosquito Aedes Aegypti, como se faz quando ocorrem casos de Dengue, teve que ser feito. Além de nebulização (o conhecido “fumacê”) com veneno para matar insetos adultos, buscas ativas nas áreas próximas à residência da vítima e pelo Distrito também foram realizadas para detectar e eliminar larvas do agente transmissor. Embora o idoso tenha contraído a enfermidade em uma região de mata, ou seja, a forma silvestre, se tivesse sido picado por algum Aedes, poderia ter dado início a uma circulação urbana do vírus, algo que não acontece há muitos anos no Brasil.

Este caso ainda gerou uma mudança de postura da população quanto à procura pela vacina contra a Febre Amarela. Após apelos feitos pelo secretário de Saúde de Poço Fundo, Rosiel de Lima, e pela gerente de Vigilância em Saúde, Denise Nogueira, a busca pela imunização literalmente quadruplicou no Centro de Saúde. Horários alternativos e envio de doses aos PSF´s também foram adotados para facilitar o acesso dos moradores, e a cobertura vacinal, que estava extremamente baixa, já chega perto do alcance ideal. “Antes, em média, de cinco a dez pessoas procuravam o posto para se imunizar. Agora, depois desse episódio, cerca de duzentos usuários comparecem, por dia, para serem vacinados ou para obter informações sobre o assunto”, afirma Rosiel.

 

Alerta Nível III

Até o falecimento do morador do Paiolinho, Poço Fundo estava entre as cidades em Nível I de alerta contra a Febre Amarela. Ou seja, havia pouca possibilidade de que a doença se espalhasse, mesmo em áreas silvestres. Após o óbito, a classificação pulou para “III”, quando se torna necessário adotar um conjunto de ações específicas e se recebe uma atenção especial dos órgãos de saúde do estado e do país. “Isso acontece quando, por exemplo, se descobre que um macaco morreu por conta do vírus ou caso algum humano tenha falecido pelo mesmo motivo. A partir daí, um trabalho é feito para se evitar que a febre silvestre passe a ser urbana. O município também começa a ter prioridade para o envio de vacinas e torna-se praticamente impossível faltar doses para atender a toda a população, pois a cobertura precisa ser completa”, explicou Denise.

Mutirão contra o Aedes

Hoje (27), a partir das 8 horas, Poço Fundo participa do “Dia D” do 3º Mutirão Regional de Combate ao Aedes Aegypti. Trata-se de uma iniciativa de uma emissora de TV, na qual estão inseridos, neste ano, pelo menos 49 municípios de sua área de cobertura.

Nesta fase, os bairros atendidos serão o Mãe Rainha e o São José (Canto), e nas equipes de trabalho estarão envolvidos agentes da Epidemiologia e servidores das Secretarias de Saúde e de Obras.

O objetivo é realizar uma campanha de abrangência regional para o desenvolvimento de ações simultâneas, em um único dia, de combate aos criadouros e à proliferação do mosquito Aedes Aegypti. “É importante citar que não se trata de uma atividade de limpeza, de recolhimento de entulhos ou móveis velhos, mas, sim, de elementos que possam servir de criadouro do mosquito da Dengue e, claro, da Febre Amarela. Se todos colaborarem, eliminaremos esta grande ameaça e permaneceremos, sem dúvida, livres da circulação urbana deste terrível vírus”, lembra Denise.

Recursos emergenciais

A SES – MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), por meio da Resolução nº. 6092, instituiu um incentivo financeiro, em caráter emergencial, para intensificar as ações de controle e contingenciamento da Febre Amarela nos municípios com casos confirmados e/ou com epizootias de primatas – enfermidade contagiosa que ataca um número elevado de animais. A resolução foi publicada, no último dia 23 (terça-feira), na edição do Diário Oficial do Estado.

De acordo com Rosiel, o objetivo deste ato é ajudar a fomentar, no território municipal, estratégias para a intensificação vacinal, vigilância de epizootias e coleta de material biológico para apoio ao diagnóstico da doença, em conformidade com as diretrizes do SUS (Sistema Único de Saúde) e da SES – MG.

O valor total do incentivo será de mais de R$ 2,4 milhões, a serem repartidos entre as cidades afetadas. Por ser um município com população acima de dez mil habitantes, Poço Fundo pode receber até R$ 100 mil.

Para fazer jus ao aporte financeiro, o Executivo deverá formalizar a adesão mediante a assinatura digital do Termo de Compromisso no sistema Geicom (Gerenciador de Indicadores, Compromissos e Metas).

No entanto, o próprio secretário já antecipa que Poço Fundo não vai esperar o repasse para começar os trabalhos exigidos. “Por estarmos em uma condição de Nível III, já fizemos uma reunião para dividir equipes e darmos o pontapé inicial, principalmente na busca ativa de pessoas para serem vacinadas, prezando pelos extremos da zona rural”.

Os locais, dias e horários das ações previstas serão informados posteriormente no site do JPF.

Por enquanto, foram divulgados apenas os lugares e períodos em que a população pode ser imunizada no perímetro urbano. Confira:

 

Posto de Saúde

Todos os dias – das 8h30 às 16 horas

 

PSF´s (conforme o que atende a sua comunidade):

Todos os dias – das 7 às 16 horas

 

Nas datas de atendimento noturno, a vacinação nos PSF´s acontece das 13 às 21 horas, conforme abaixo:

 

Dia 29 (segunda-feira)

PSF Santa Rita (ao lado do Poliesportivo Gavinão)

 

Dia 29 (segunda-feira)

PSF São Francisco (na Praça Dr. Clóvis Napoleão Júnior)

 

Dia 1º (quinta-feira)

PSF São Lucas (ao lado da Prefeitura): 01/02

 

Dia 6 (terça-feira)

PSF São José ( ao lado do Terminal Rodoviário)

 

Dia 6 (terça-feira)

PSF São Sebastião (Paiolinho)

 

Dia 8 (quinta-feira)

PSF Nossa Senhora Aparecida (anexo ao Posto de Saúde)

 

* Atenção: o Posto de Saúde também promoverá vacinações no horário noturno, das 18 às 20 horas, em datas a serem informadas pela Secretaria de Saúde.