Slider

ACADEMIA EM ÁREA DE FESTA GERA ATRITO ENTRE PREFEITURA E IGREJA

Uma iniciativa da Prefeitura de Poço Fundo provocou um ligeiro atrito com as lideranças da Paróquia São Francisco de Paula. A instalação de uma academia ao ar livre no meio da Praça Antônio Velani, semanas antes da Festa de São Benedito, o principal e mais movimentado evento religioso-popular barriga verde, gerou questionamentos por parte do pároco e do vigário locais. Depois de muita polêmica, um acordo foi firmado.
O primeiro ponto levantado pelos padres foi o fato de que a implantação se deu sem nenhuma consulta às lideranças paroquiais, já que o planejamento para a festa, que acontece no final de julho, acabaria sendo prejudicado. A novidade poderia restringir a movimentação dos participantes do evento, que conta com a presença de todas as comunidades do município e recebe centenas de visitantes.
Conforme o padre Cláudio Brás, pároco de Poço Fundo, a busca de explicações renderam respostas nada convincentes. “Nos informaram que barraqueiros foram inquiridos e não viram problemas. Não sabemos quem foi ouvido, mas, de qualquer maneira, quem organiza a festa não são eles e, sim, nós. E não fomos consultados em nenhum momento”.
O sacerdote ainda fez questão de enfatizar que a Igreja apoia qualquer forma de melhoria concedida à população do bairro São Benedito e nem pretende impedir este avanço. Porém, sua preocupação é com a possibilidade de dissabores por conta dos aparelhos justamente no espaço mais usado para mobilidade de quem vai à praça para os festejos. “Não somos contra a instalação da academia, que, com certeza, chega para promover atividade e saúde a todos. No entanto, nos precavemos com a possibilidade de que pessoas se machuquem por causa dela, principalmente nos dias de maior movimento, além da restrição do trânsito dos participantes”.

Desrespeito e polêmica

A discussão gerou diversas polêmicas, especialmente nas redes sociais. Alguns partidários da atual Administração postaram comentários desrespeitosos ao secular evento e à instituição religiosa, colocando-os como algo menor diante da “grande necessidade de uma academia”.
Outros, desligados à política e a siglas, optaram por defender um diálogo, lembrando que a questão não era os aparelhos, mas a falta de sensibilidade do Poder Executivo em não dar importância para a organização dos trabalhos do final de julho.
Para o vigário Paulo Giovanni, este debate é fundamental, pois é preciso valorizar a Festa de São Benedito. “Este evento, de cunho principalmente religioso, já tem bem mais de 100 anos e, nas últimas edições, promovemos mudanças para melhorá-lo, inclusive prezando, e muito, pela segurança. Em 2016, teremos também um espaço maior para o Congado, algo que, há tanto tempo, não ocorria. Por isso, não entendemos o motivo de a Prefeitura tomar decisões deste tipo sem pelo menos nos consultar, podendo colocar em risco até mesmo um planejamento feito após várias reuniões e conversas entre nossas lideranças”.

Acordo

Depois de muito “disse-que-disse”, num encontro, realizado no último dia 13 (segunda-feira), entre o prefeito Renato Oliveira, o presidente da Câmara, Luciano Ferreira, e os padres Cláudio Brás e Paulo Giovanni, um acordo foi firmado para que a Festa de São Benedito possa ocorrer sem percalços.
Na reunião, houve certa tensão, com o gestor do município reclamando da posição tomada publicamente pelos sacerdotes e afirmando que o Executivo sempre esteve à disposição para ajudar e dialogar com a organização do evento. Os padres, por sua vez, lembraram que a Paróquia deveria ter sido comunicada antecipadamente da decisão.
Por fim, o diálogo deu resultado como se esperava. A Prefeitura se comprometeu em apenas desmontar os aparelhos durante as atividades para evitar maiores problemas, reinstalando-os após o encerramento.

Deixe uma resposta